Programação

     FOTO PARA CRONOGRAMA 

 

PROGRAMAÇÃO DO 6º CURSO DE VERÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UFG

 

SEGUNDA-FEIRA – 01/02/2021

19h – 19h20  – Abertura – Breve contextualização do histórico do PPGCB

Prof. Dr. Carlos Henrique de Castro (Coordenador do PPGCB)

 

19h20 – 20h – Mesa redonda “Desvendando a Pós-graduação em Ciências Biológicas”

Luana A. Manso (LaMARe); Carolina N. R. Pontes (LIFCaN); Patrícia C. Moreira (LQFM)

 

20h – 20h30 – Fungos e plantas de mãos dadas: Trichoderma e o biocontrole

Prof. Dra. Raphaela de Castro Georg (LabMic)

Fungos interagem com plantas tanto de forma benéfica quanto maléfica. A proposta desta palestra é discutir algumas formas de interação de fungos do gênero Trichoderma com plantas e como esse micoparasita pode promover o crescimento de plantas e o combate a fitopatógenos, permitindo o aumento da produtividade na agricultura. Condições ambientais podem interferir nessa interação entre Trichoderma e as plantas, bem como no micoparasitismo de fitopatógenos. Nosso grupo de estudo tem se dedicado ultimamente ao estudo dos efeitos de estresses ambientais sobre a capacidade de Trichoderma harzianum atuar como micoparasita e promotor de crescimento de plantas.

 

20h30 – 21h – Da vida intrauterina a fase adulta: como nosso organismo pode ser reflexo de alterações durante a fase de desenvolvimento?

Marcos Ferreira (LabFEM)

Por que algumas pessoas têm maior predisposição à obesidade, diabetes e outras doenças? Como o comportamento ou alimentação da mãe pode afetar a saúde da sua prole a curto e a longo prazo? A alimentação na infância e adolescência realmente pode impactar na saúde durante a fase adulta? Perguntas como essas estão nos levando a estudos que visam compreender as origens da saúde e da doença durante o desenvolvimento, do inglês DOHaD (developmental origins of health and disease). A compreensão de como nossa saúde é afetada por agentes externos, ou até mesmo por nossa própria alimentação, pode abrir caminhos para "tratamentos precoces" de doenças que podem ser desenvolvidas na fase adulta. E essa é a linha de pesquisa central do Laboratório de Fisiologia Endócrina e Metabolismo. Venha aprender conosco sobre esse assunto, e também tirar suas dúvidas!

 

TERÇA-FEIRA – 02/02/2021

 

19h – 19h30 – Estudo da histopatologia placentária frente a desordens hipertensivas da gestação

Rinaldo Rodrigues (LBVH)

A placenta é um órgão essencial para o crescimento e sustentação fetal cuja função pode se tornar comprometida em situações nas quais alterações fisiológicas no organismo materno podem provocar efeitos deletérios neste órgão. Um exemplo disso é a gestação frente ao quadro hipertensivo, que prejudica o desenvolvimento placentário, provocando diminuição do fluxo sanguíneo e redução na transferência de nutrientes. Dessa forma, a correta formação da placenta é um processo crucial para uma gestação saudável e normal. Durante esta palestra, será discutida a importância do estudo histopatológico da placenta na busca pela compreensão das desordens hipertensivas que acometem a gestação.

 

19h30 – 20h – Tecido adiposo perivascular (PVAT) e seu papel na vasculatura Laboratório de biologia vascular e histopatologia

Raiany Alves de Freitas (LBVH)

A maioria dos vasos sanguíneos são cercados por uma camada de tecido adiposo, conhecido como tecido adiposo perivascular (PVAT). Em condições fisiológicas, o PVAT atua como um órgão endócrino capaz de produzir diversas substâncias, denominadas adipocinas, capazes de regular a homeostase e a função vascular. No entanto, este sistema pode ser prejudicial à medida que sua ativação torna-se prolongada em condições patologicas, causando sérias alterações vasculares. Por esta razão, o PVAT é alvo de diversas pesquisas científicas por ser indispensável para a compreensão da fisiopatologia da obesidade, hipertensão arterial, aterosclerose e doenças cardiovasculares.

 

20h – 20h30 – Morfologia aplicada ao estudo da hiperplasia benigna prostática

Gessica Coelho de Sousa (LaMARe)

A hiperplasia benigna prostática é uma doença que atinge 50% dos homens com mais de 50 anos. Por ser uma patologia multifatorial, ainda há muitas coisas a serem esclarecidas, além de ser importante a busca de novos potenciais fármacos com baixos efeitos colaterais no tratamento. A utilização de um modelo experimental (ratos espontaneamente  hipertensos - SHR) onde a doença se manifesta de forma espontânea contribui para a melhor compreensão da patologia e a testagem de uma substância natural como tratamento e/ou proteção ao órgão. Com a utilização de técnicas histomorfológicas é possível avaliar os efeitos do uso de um flavonoide sobre o desenvolvimento da hiperplasia prostática benigna na próstata de ratos da linhagem SHR.

 

20h30 – 21h – A importância dos estudos em toxicologia reprodutiva

Profª Drª Renata Mazaro e Costa (LFFR)

A palestra abordará o histórico da área em toxicologia reprodutiva. A importância de se estudar os efeitos de moléculas e substância sobre a reprodução, com enfoque na reprodução masculina. Serão abordados os aspectos regulamentadores internacionais e nacionais que versam sobre o risco de substâncias no controle reprodutivo humano e animal. Apresentaremos trabalhos clássicos e resultados obtidos nos últimos anos pelo Laboratório de Fisiologia e Farmacologia da Reprodução, principalmente com enfoque no aparelho reprodutor masculino. Durante a palestra serão destacados a importância da compreensão da fisiologia do sistema reprodutor e alguns mecanismos de ação de drogas sobre a reprodução masculina e feminina.

 

QUARTA-FEIRA – 03/02/2021

 

19h – 19h30 – Órgãos Isolados: Coração e Aorta

João Batista Rodrigues Dutra (LIFCaN)

A Organização Mundial da Saúde caracteriza as doenças cardiovasculares como a principal causa de morte no mundo, representando 31% de todas as mortes a nível global (OMS, 2017). Por isso, é de extrema importância entender como essas doenças cardiovasculares se desenvolvem e buscar novos tratamentos. A equipe do Laboratório Integrado de Fisiopatologia Cardiovascular e Neurológica (LIFCaN) coordenada pelo Prof. Dr. Carlos Henrique de Castro, tem pesquisado os efeitos cardioprotetores de novas substâncias sintéticas. Dentre as diversas técnicas utilizadas destacam-se os órgãos isolados Coração e Vaso que permitem avaliar os efeitos das drogas sobre o tecido miocárdico e endotelial.

 

19h30 – 20h – Contribuições dos modelos experimentais de epilepsia

Pedro Paulo Pereira Braga (LIFCaN)

A epilepsia é a doença neurológica crônica grave com maior incidência e prevalência no mundo. A principal causa de morte nesses pacientes é a Morte Súbita e Inesperada em Epilepsia (Sudden Unexpected Death in Epilepsy - SUDEP). Apesar dos mecanismos da SUDEP ainda serem desconhecidos, evidências sugerem a sua associação com desordens cardiogênicas. Nesse sentido, a partir da utilização de modelos experimentais de epilepsia em roedores, nosso laboratório busca elucidar os mecanismos fisiopatológicos da doença e os seus impactos na função cardiovascular.

 

20h – 20h30 – Epilepsia e Apneia obstrutiva do sono

Prof. Dra. Aline Priscila Pansani (LIFCaN)

Os distúrbios do sono são comuns em pacientes com epilepsia. Dentre estes, a Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) tem recebido destaque, pois além de ser prevalente em pacientes com epilepsia, é um fator de risco para a morte súbita nas epilepsias (SUDEP). Desta forma, estudos com modelos animais são importantes para entender a relação entre epilepsia e AOS, bem como seu impacto nos sistemas fisiológicos, contribuindo para detecção de possíveis estratégias preventivas e de tratamento. Em nosso laboratório, estudamos esta relação utilizando dois modelos experimentais de epilepsia: modelo da pilocarpina e o modelo do abrasamento elétrico da amígdala.

 

20h30 – 21h – Influências da Cronobiologia na Pesquisa com modelo animal

Isis Barbieri (CPNFC)

Os ritmos biológicos estão presentes em todos os organismos vivos, e são definidos como a “recorrência em intervalos regulares de qualquer processo biológico”. A ritmicidade circadiana em mamíferos é gerada pelo sistema de temporização, composto pelo núcleo supraquiasmático - estruturas localizadas bilateralmente no hipotálamo (relógio biológico) e os osciladores periféricos distribuídos em vários tecidos, impulsionando diversos processos bioquímicos, comportamentais e fisiológicos. Sendo assim, alinhar os experimentos científicos aos parâmetros e aspectos cronobiológicos tornou-se essencial. Curiosidade: Em 2017 os laureados pelo Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina foram Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young pela descoberta dos mecanismos moleculares que controlam o ritmo circadiano.

 

QUINTA-FEIRA – 04/02/2021

 

19h – 19h30 – Métodos utilizados no estudo de compostos antidepressivos e/ou ansiolíticos

Lorrane Kelle da silva Moreira (LFPNS)

Os transtornos mentais apresentam alterações emocionais e/ou comportamentais que interferem na qualidade de vida e produtividade dos indivíduos. Dentre estes transtornos, os transtornos depressivos e os transtornos de ansiedade são os mais frequentes. Nesta palestra, serão discutidos alguns métodos utilizados na investigação pré-clínica de compostos que possam ser utilizados no tratamento farmacológico destes transtornos. O objetivo para buscar compostos com potencial para o tratamento de transtornos mentais visa minimizar os efeitos adversos que a terapia farmacológica atual apresenta, como atraso no início de ação terapêutica, dependência e/ou tolerância, entre outros.

 

19h30 – 20h – Inflamação e dor: novas abordagens farmacológicas

Larissa Cordova Turones (LFPNS)

A resposta inflamatória e a dor são mecanismos de reparação tecidual e/ou defesa do organismo contra potenciais danos, respectivamente. Entretanto, uma resposta exacerbada por comprometimento na modulação desses processos pode impactar significativamente a vida do paciente. Apesar das diferentes terapias farmacológicas disponíveis, a busca por fármacos com menores efeitos adversos e maior eficácia a largo prazo tem sido constante. Neste sentido, testes in vitro e in vivo  são usados como ferramentas farmacológicas para acessar o potencial de protótipos a fármaco com atividade anti-inflamatória e/ou analgésica, periférica e/ou central, assim como para avaliar os mecanismos de ação envolvidos e o perfil de segurança farmacológica.

 

20h – 20h30 – Planejamento e síntese de moléculas bioativas

Tracy Martina Marques Martins (LQFM)

A palestra a ser ministrada no 6º Curso de Verão do Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas (PPGCB/UFG) tem como objetivo apresentar as etapas de planejamento e síntese de novos candidatos a protótipos de fármacos. As estratégias que serão apresentadas para a obtenção de novas moléculas são: bioisosterismo, simplificação molecular, hibridação molecular e latenciação. Adicionalmente apresentaremos alguns resultados obtidos nos projetos de pesquisa desenvolvidos pelos alunos de mestrado e doutorado do Laboratório de Química Farmacêutica Medicinal.

 

20h30 – 21h – As principais doenças do século XXI: Como podemos avaliar as moléculas bioativas no tratamento de doenças cardiovasculares, ansiedade e depressão?

Juliana Vila Verde Ribeiro (LNS)

A vida moderna trouxe consigo inúmeros avanços e conquistas em todas as áreas do conhecimento humano. Entretanto, o estilo de vida que muitas pessoas levam traz consigo malefícios para a saúde. O modo como muitos se alimentam, a falta de atividade física resultando em sedentarismo, o uso excessivo de álcool e tabaco, a autocobrança excessiva, estresse e pressão no trabalho contribuem para o aparecimento de doenças cardiovasculares e metabólicas, obesidade, ansiedade e depressão. Para tentar sanar tais doenças, o estudo voltado às moléculas bioativas que desenvolvem efeitos fisiológicos benéficos à saúde aumentou muito. Deste modo, iremos abordar o contexto geral das principais doenças do século XXI e como podemos avaliar o efeito de moléculas biologicamente ativas no tratamento de doenças cardiovasculares e renais, ansiedade, depressão e transtornos de comportamento alimentar.

 

SEXTA-FEIRA – 05/02/2021

 

19h – 19h30 – Compreendendo a COVID-19 em seus aspectos genéticos, fisiológicos e evolutivos

Romes Bittencourt Nogueira de Sousa (CPNFC)

A compreensão, em termos de ciência básica, assim como a necessidade de manejo e tratamento da COVID-19, tem instigado estudos nos mais diversos campos das ciências biológicas e da saúde. Assim sendo, e devido às constantes atualizações científicas sobre o tema, esta palestra se propõe a apresentar uma introdução sobre a genética e fisiologia da patologia, assim como seus aspectos evolutivos. Serão abordados temas como: influência das Enzimas Conversoras de Angiotensinas 1 e 2 (ECA e ECA2) na patogenia da COVID-19, associação entre genótipos, prognósticos e desfechos de pacientes acometidos pela patologia em questão, assim como teorias evolutivas e possibilidades potencialmente terapêuticas.

 

19h30 – 20h – Efeito neuroprotetor da inibição de transportadores de glicina do tipo 1

Prof. Dr. Mauro Cunha Xavier Pinto (NeuroLab)

A doença de Alzheimer é uma síndrome neurológica caracterizada por prejuízo cognitivo que pode incluir alterações de memória, aprendizado e orientação espacial. Um aspecto importante da fisiopatologia da doença de Alzheimer é a excitotoxidade, que está intimamente relacionada aos receptores de NMDA. Estudos recentes têm demonstrado que os inibidores dos transportadores de glicina do tipo 1 (GlyT1) modulam a neurotransmissão glutamatérgica através dos receptores de NMDA (NMDAR) e que podem ser usados para prevenir lesões excitotóxicas. Nesta palestra serão mostrados dados que indicam o efeito neuroprotetor da inibição dos transportadores de glicina do tipo 1 (GlyT1) em diferentes modelos de dano cerebral. Também serão apresentados os dados de biologia molecular, análises metabolômicas e análises proteômicas que indicam os principais mecanismos moleculares envolvidos na indução e manutenção desta proteção ao sistema nervoso central. Por fim, serão discutidas as principais perspectivas para esta linha de pesquisa, o desenvolvimento destes novos fármacos e o potencial clínico para uso em humanos.

 

20h - 20h30   – Influência da Na + ,K + -ATPase na neuroinflamação

Profª. Dra. Jacqueline Alves Leite (LFBM)

A Na+,K+-ATPase é uma proteína integral de membrana que mantém os gradientes eletroquímicos de Na+ e K+ através da membrana plasmática, um pré-requisito para excitabilidade elétrica e transporte secundário. Nosso grupo de pesquisa tem estudado a relação desta proteína, bem como seu ligante endógeno, a Ouabaína, na neuroinflamação. A neuroinflamação está associada a neuropatologias, como doença de Alzheimer, doença de Parkinson e esclerose lateral amiotrófica. Neste contexto, a palestra irá abordar conceitos básicos sobre neuroinflamação e sua relação com as doenças neurodegenerativas, bem como resultados recentes que apontam a influência da sinalização da Na+,K+-ATPase na neuroinflamação induzida por LPS.

 

20h30 – Encerramento